A intervenção do governo municipal na incessante busca de uma maior proximidade entre as crianças e adolescentes com tópicos básicos de educação fiscal é “importantíssimo”. Esse é o pensamento de Reinaldo Domingos, um dos principais especialistas do País na área, além de educador, terapeuta financeiro e presidente do Instituto Dsop (Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar). Ele afirma que as orientações tributárias fazem parte de um dos aspectos essenciais da educação financeira para pessoas inseridas na faixa etária mais jovem.

“É fundamental que haja esse engajamento do governo. As crianças precisam entender o caminho do dinheiro que é arrecadado com impostos e a definição de seu destino, como pagamento de colaboradores”, comenta. Segundo ele, os mais jovens precisam compreender como esses recursos são imprescindíveis para voltar em benefícios na ponta. “O retorno vem em saúde, educação, segurança e em todas as áreas que você possa imaginar”, reflete.

Evitar problemas

Na avaliação de Reinaldo, levar a educação fiscal para os mais moços pode evitar uma série de problemas no futuro. “Nas famílias de hoje ocorre uma incompatibilidade de se ter um patrimônio fiscal diferente do patrimônio real pela falta de conhecimento e intimidade com o sistema tributário. Grande parte dos brasileiros tem essa dificuldade”, aponta. Prevenir esse gargalo é possível com a boa vontade dos governos em investirem na educação tributária. “É bom para o cidadão saber que esse dinheiro (dos impostos) será objeto de melhoria de vida em todos os setores”. (ISJ)

FORMAÇÃO

“Crianças precisam entender o caminho do dinheiro arrecadado com os impostos”

REINALDO DOMINGOS
Educador financeiro e presidente do Instituto Dsop

 

Fonte: //diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=999516