SÃO PAULO – Manter as contas em dia pode parecer uma tarefa difícil, pois elas não param de chegar e a falta de recursos para saná-las se torna a dor de cabeça de qualquer pessoa. Apesar de assustadoras, é possível fugir das dívidas usando uma técnica simples, a de se planejar.

 

Contas em dia
O planejamento pode ajudar a não só fugir da inadimplência, como manter as contas em dia, além de também ser usado para realizar um sonho, seja a compra de uma casa, seja a de um carro ou para garantir tranquilidade na velhice. “Embora seja uma regra simples, gastar menos do que se ganha é primordial”, afirma o educador e terapeuta financeiro Reinaldo Domingos.

 

Seguir alguns passos para aprender a se planejar pode ser um bom caminho. São eles:

Gastar menos do que ganha: regra básica, mas a mais importante. Gastar apenas o que cabe no orçamento.

 

Diagnóstico financeiro anual: é necessário conhecer e descobrir para onde vai cada centavo gasto no mês. Isso inclui até gorjetas. Para saber com o que a renda é gasta, é importante ter uma planilha de gastos, porém, a anotação deve ser feita na hora do gasto e não deixar para colocar na planilha apenas quando chegar em casa.

 

Limites do cartão de crédito: o limite do cartão de crédito não deve ultrapassar 50% da renda mensal, principalmente de quem ganha salário fixo.

 

Cheque especial: é uma alternativa que leva facilmente ao desequilíbrio financeiro, principalmente porque é confundido com reserva. Por isso, quem quer ter uma reserva deve guardar dinheiro e não contar com o limite do cheque especial.

 

Reserva estratégica: manter de cinco a 10 salários mínimos guardados para uma possível emergência. Em caso de dívida, a reserva pode garantir a segurança de quem perder o emprego ou tiver outro problema.

 

Essencial e supérfluo: comprar com consciência, se necessário, voltando depois ao estabelecimento, para se certificar de que o produto é realmente indispensável. No caso de shopping, evitar sair com o cartão de crédito e levar dinheiro para evitar gastos desnecessários.

 

Comprar à vista: sempre que possível, comprar à vista e pedir desconto, além de sempre realizar pesquisas de preço antes de efetivar a aquisição. Descontos podem representar em um ano os mesmo ganhos financeiros que uma aplicação, como a poupança.

 

Ter sonhos: é necessário sempre ter sonhos, seja de curto (até um ano), médio ( até 10 anos) ou longo (acima de 10 anos) prazo. Além dos sonhos, é preciso saber qual é o sonho (casa, carro, aposentadoria sustentável), quanto ele custa e quanto será guardado por mês para realizá-lo.

 

Orçamento financeiro mensal: ao realizar um orçamento mensal, o sonho deve ser considerado. Depois de separar o dinheiro necessário para o sonho, parcelado mensalmente, o restante da renda deve ser adequada ao dia a dia. Se necessário, gastos podem ser cortados, para proteger o sonho.

 

• Poupar para realizar um sonho: para poupar, é importante que se tenha um objetivo, mesmo que seja a independência financeira. A poupança pode ser usada para a realização de um sonho em curto prazo; para sonhos de médio prazo, títulos do Tesouro são a melhor opção, enquanto, para os de longo prazo, a indicação são ações ou previdência privada.

     

    Fonte://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/09/02/orcamento-10-maneiras-de-manter-as-contas-em-dia.jhtm