Os contribuintes que já prestaram contas à Receita Federal e estão precisando de dinheiro extra podem antecipar as restituições do Imposto de Renda.


Os bancos abriram linhas de crédito com essa finalidade, dispostas a liberar valores correspondentes a até 100% do total a ser devolvido pelo Fisco. Os juros vão de 1,89% a 2,99% ao mês. Mas, na avaliação dos especialistas, o endividamento só é recomendável para aqueles que realmente estão necessitando, devido a uma emergência, ou estão atolados no cheque especial e no cartão de crédito, que cobram juros médios de 10% ao mês.

 

O educador financeiro Reinaldo Domingos, da DSOP Educação Financeira, alerta que, antes de optar pelo adiantamento da restituição, é necessário se certificar de que não há risco de cair na malha fina. “Se isso ocorrer, o contribuinte poderá não ter o dinheiro necessário para honrar a dívida lá na frente”, afirma. Mas não é só. “Na prática, como as pessoas pagam juros, acabam recebendo menos do que a Receita devolveu”, completa. Para o advogado tributarista Samir Choaib, a antecipação do Imposto de Renda só vale a pena se a pessoa estiver muito endividada e submetida a juros mais altos.

A troca de dívidas pode, no entanto, ser sinal de fragilidade financeira. “Se a pessoa tem que tomar uma decisão dessas, é hora de fazer uma reorganização financeira. Quando substitui uma dívida por outra, está combatendo os efeitos do descontrole, não a causa. Provavelmente, daqui dois meses, vai estar devendo de novo”, explica Domingos. Para ele, é válido, por exemplo, usar o dinheiro da restituição para completar o montante poupado para a compra de um carro. “Mas sempre é importante conferir se os juros do adiantamento são menores do que os do financiamento do veículo. Fazendo uma boa pesquisa, o contribuinte evita cair na armadilha do juro mais alto”, ressalta.

No Banco do Brasil e no Itaú Unibanco, as linhas para a antecipação da restituição do IR estão disponíveis desde a última sexta-feira. Já o Bradesco e o HSBC passam a oferecer a modalidade de financiamento a partir de hoje. Em todas as instituições, é necessário ser correntista e o banco deve ter sido indicado à Receita na declaração. Há limites para o financiamento na maior parte do sistema. O teto é de R$ 20 mil.

Fonte: //www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/especiais/imposto-de-renda-2013/2013/03/04/InternaIRPF2013,352637/bancos-abrem-linhas-de-credito-para-antecipar-a-restituicao-do-imposto.shtml