Realizar o sonho da casa própria vem se tornando mais palpável para o brasileiro. Programas de auxílio e financiamento como o “Minha Casa, Minha Vida” facilitam e aproximam os sonhadores deste momento tão esperado, em que a meta de sair do aluguel passa a ser uma possibilidade concreta.


Criado pelo governo federal em 2009, o programa foi lançado com o intuito de promover – por meio de subsídios e diferentes formas de financiamento – o acesso ao imóvel próprio, para pessoas que, devido à baixa renda, teriam maior dificuldade em conseguir apoio de instituições financeiras.

Segundo Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira e autor do livro “Terapia Financeira”, o “Minha Casa, Minha Vida” é o programa de financiamento habitacional mais vantajoso. “Ele é de fácil acesso, além de possuir juros bastante interessantes”, afirma.

Para participar do programa, o primeiro passo é definir em qual faixa de renda bruta você se encaixa. As opções são três: a faixa 1 atende as famílias que apresentam uma renda mensal de até R$ 1,6 mil; a faixa 2 é para as que recebem de R$ 1.601 a R$ 3.275; a faixa 3 se destina às que se enquadram na renda familiar de R$ 3.276 a R$ 5 mil.

Faça as contar – Uma vez definida a faixa, o ideal é fazer uma simulação de financiamento. Essa etapa pode ser feita nos sites da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, os bancos públicos que operam o programa do governo.

Iniciar um financiamento é uma decisão que deve ser pensada a longo prazo. Domingos explica: “O maior risco para quem financia é a falta de educação financeira, o que faz com que ela não tenha controle de seus gastos e não consiga arcar com o compromisso”, alerta.

Para Márcio Gonçalves, a compra do primeiro imóvel só foi possível devido ao “Minha Casa, Minha Vida. “Optei pelo programa devido aos descontos oferecidos”, explica.

Fonte://www.diariosp.com.br/noticia/detalhe/59737/Sua+casa+propria+mais+acessivel++