O conceito de educação financeira está intrinsecamente relacionado ao mundo de sustentabilidade, no qual se encontra, inclusive, a preservação do meio ambiente.


Em meu livro O Menino do Dinheiro – Num Mundo Sustentável (Editora DSOP), voltado para crianças do Ensino Fundamental, abordo a educação financeira embasada na sustentabilidade.

É como andar de bicicleta, quando criança, ao aprender, caímos uma, duas ou mais vezes e quase sempre não nos machucamos, mas, se deixar para aprender quando adultos, tudo fica muito mais difícil.Com os temas sustentabilidade e educação financeira,acontece da mesma forma.

É preciso aprender, desde pequeno, a poupar antes de gastar, aproveitar e reaproveitar produtos, conservar o meio ambiente com pequenas e simples atitudes, para que possamos garantir nossas novas gerações e o desenvolvimento de um futuro mais próspero financeiramente e ambientalmente.

A temática, bastante discutida atualmente, se relaciona principalmente com o conceito dos 5Rs, que, por meio de ações práticas no dia a dia, podem propiciar a redução do nosso impacto sobre o planeta, melhorando a vida atual e contribuindo com a qualidade de vida das próximas gerações. Essas ações estão descritas de forma objetiva em meu livro e são elas:

– Repensar os hábitos de consumo e descarte;

– Recusar produtos que prejudicam o meio ambiente e a saúde;

– Reduzir o consumo desnecessário;

– Reutilizar e recuperar ao máximo antes de descartar;

– Reciclar materiais.

Com certeza, com essas preocupações e com o consumo consciente,haverá reflexos diretos também no bolso, reduzindo gastos desnecessários.

E os pontos são simples, veja alguns:

1. Antes de ir às compras, defina o que é realmente prioridade e observe na dispensa e geladeira os itens de uso cotidiano que estão faltando e o que não foi utilizado, evite desperdícios;

2. Observe o prazo de validade dos produtos e verifique se os itens em promoção estão na sua lista ou se são realmente necessários. Somente compre em grande quantidade se tiver a certeza de que serão consumidos dentro do prazo de validade;

3. Verifique se existe mesmo a necessidade de manter um automóvel (ou um segundo automóvel). Muitas pessoas, já optaram por utilizar transporte público ou até mesmo taxi ou bicicleta para se locomover e observaram que os custos mensais são menores do que tinham com a manutenção: combustível, estacionamento, seguro e impostos. Mudar alguns hábitos de locomoção pode fazer bem ao bolso e à saúde;

4. O proprietário de um veículo deve ter em mente que é fundamental evitar o uso desnecessário.Uma boa alternativa é revezar caronas ou mesmo utilizar o transporte público, quando possível. Além de economizar, você estará colaborando com o meio ambiente;

5. Os gastos com energia elétrica são um dos que mais apresentam excessos. Basta pensar em quanto tempo usa o chuveiro, quantas vezes deixa as luzes ligadas e a geladeira aberta. Sem contar no uso de televisão e de computador;

6. Reciclar produtos também deve ser prioridade. Os desperdícios nas casas são muitos, sendo possível reciclar desde alimentos até roupas e materiais escolares, sem perder a qualidade;

7. Na utilização de gás e água, também é possível economizar. Evite deixar o fogo ligado, o chuveiro e torneiras abertas sem necessidade e busque reutilizar a água;

8. Quem tem filhos, é preciso, antes de ir às compras do material escolar, rever os itens que já havia comprado nos últimos anos. Essa atitude, com certeza, irá ajudar na redução desse tipo de despesa;

9. Diga não ao consumo não consciente. Cuidado, pois o seu dinheiro não aceita desaforo. Cada centavo gasto em despesas sem necessidade pode representar uma aposentadoria sustentável;

10. Construa junto com o seu filho três cofrinhos com produtos recicláveis: um para curto prazo (até três meses), outro para médio (até seis meses) e outro de longo (até um ano ou mais). Ensine a criança a guardar sonhos dentro de cada cofrinho e não apenas dinheiro.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira e Editora DSOP, autor dos livros Terapia Financeira, Livre-se das Dívidas, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, das coleções infantis O Menino do Dinheiro e O Menino e o Dinheiro, além da coleção didática de educação financeira para o Ensino Básico, adotada em diversas escolas do país.

Fonte: Jornal Meio Ambiente