educacao-financeira-reeducacao-financeira

Educação financeira não se aprende no berço e cada pessoa tem uma forma específica para lidar melhor com dinheiro. Mesmo assim, há maneiras de otimizar as finanças que servem para boa parte dos casos.

Para a consultora financeira Cintia Senna, pessoas com dívidas devem parar imediatamente para analisar o que têm feito da vida, caso pretendam voltar a viver “em liberdade”. Confira os sete passos que pessoas endividadas devem tomar para a reeducação plena, de acordo com ela.

1 – Identifique suas dívidas

Estar endividado é muito mais comum do que parece, porém nem sempre as pessoas são capazes de identificar onde as dívidas estão”, explica a especialista. Ter essa informação listada nos mínimos detalhes é a melhor forma de priorizar e pagar primeiramente as com juros mais altos.

2 – Entenda seu consumo mensal

“Isso é necessário porque torna-se muito comum dar maior atenção aos grandes gastos e perder o controle dos gastos menores que podem consumir todo o dinheiro”, explica. Para isso, anote seus gastos durante 30 dias, de forma detalhada, seja em um papel ou aplicativos e planilhas eletrônicas.

“Você também pode pedir a nota fiscal de tudo que consumir para ajudar no controle dos gastos”, declara.

3- Planeje seu futuro

Saber para onde o dinheiro vai é essencial. “Quantas vezes você alcançou um objetivo que definiu? O que você fez? Muito provavelmente você focou toda a sua atenção, redefiniu suas prioridades e deixou de lado as coisas menos importantes para assim alcançá-lo”, analisa a profissional.

Esse planejamento, claro, deve ser acompanhado de previsões de custos.

4 – Faça um orçamento

“Use o que for mais fácil, seja um caderno, planilha ou aplicativos de celular, mas tente encontrar uma maneira de enxergar a sua vida financeira mês a mês”, é a dica da consultora. Para ela, é importante estimar ganhos mensais já contemplando 13º salário, férias e possíveis bônus.

“Em seguida, coloque os valores mensais que gostaria de reservar para seus objetivos, bem como qual será seu gasto mensal com educação, moradia, locomoção, lazer e cuidados pessoais. Dê uma atenção especial aos pequenos gastos que você costuma esquecer”, explica. A partir de então, defina prioridades.

5 – Mude hábitos e comportamentos

Definidas as prioridades, chega o momento da prática. Mudar hábitos de consumo é essencial para conseguir estar dentro da regra de ouro: poupar primeiro para gastar depois.

“A análise de seu consumo mensal te ajudará a visualizar os gastos que devem ser eliminados, os que devem ser equilibrados e os que devem ser mantidos. Esse panorama geral de gastos mensais te ajudará a ser mais cauteloso com seu dinheiro, valorizando cada centavo”, continua Cintia.

6 – Analise contas fixas

Sabendo exatamente qual seu consumo fixo, é possível tomar ações para otimizá-los. “Ligar nas prestadoras de serviço e solicitar desconto ou redução nas tarifas é uma das coisas que você pode fazer para ajudar a conter gastos mensais”, avalia a consultora. Pode haver também algum serviço inutilizado que pode ser cortado.

7 – Renegocie suas dívidas

“Quitar as dívidas à vista pode garantir excelentes descontos. Veja quais dívidas são prioritárias, ligue para o credor e solicite uma renegociação do valor”, conclui a especialista. Isso será possível depois de seguir os passos anteriores.

Fonte: //economia.uol.com.br/noticias/infomoney/2016/10/03/7-passos-essenciais-para-reeducar-sua-vida-financeira-segundo-especialista.htm