educacao-financeira-economia-financeira

Período em que impostos e compras de Natal batem à porta exige atenção extra para não entrar 2017 com o orçamento

O entusiasmo com a proximidade das férias, as festas de final de ano e a chegada do 13º salário têm certo choque de realidade conforme as contas desse período visitam a caixa de correio.

A partir de dezembro, os gaúchos conhecerão o calendário do IPVA e do IPTU, e neste mês já começaram a receber os boletos de rematrículas escolares (que, esclarece o Sinepe/RS trata-se de cobrança antecipada de mensalidade do ano seguinte para garantir vaga, e não taxa extra).

Como ninguém é de ferro, vem também a sedução pelas ofertas de Natal e a tentação pelos pacotes de verão. É tanto no que gastar que, às vezes, não há dinheiro que chegue.

Segundo educadores financeiros, esse é um período crucial para organizar as contas e evitar dívidas que pesem nos próximos meses. Colocar no papel os gastos que virão pela frente, elencar quais valem a pena antecipar o pagamento, aproveitar descontos e reservar parte do 13º e outras bonificações para o lazer são etapas importantes para a organização financeira — ainda mais em períodos de crise, em que se recomenda redobrar o bom trato à conta bancária.

Priorize as dívidas com juros mais altos

O educador financeiro Jó Adriano da Cruz diz que programar os gastos de final de ano começa pela avaliação da própria situação econômica. Quem está endividado deve priorizar a quitação de impostos com maiores juros no parcelamento, para evitar acúmulo de contas. Mas se houver dívidas no cartão de crédito ou cheque especial, com juros altíssimos, todo recurso extra deve servir, antes de tudo, para eliminá-las.

— O destino das férias deve ser o mais econômico possível e por um curto período para quem está com as contas no vermelho. Visitas a familiares costumam ser uma alternativa mais em conta: se economiza na hospedagem — sugere.

Quem tem o orçamento mais equilibrado pode se dar ao luxo de pagar IPTU e IPVA à vista, aproveitando descontos. Para esses, a recomendação é marcar as férias com boa antecedência, aproveitando promoções de passagens aéreas e hotéis mais baratos nos destinos de verão. Assim, evita-se uma preocupação extra no final do ano.

O educador financeiro Reinaldo Domingos afirma que o 13º salário, cuja primeira parcela é depositada até o final de novembro, pode ser um bom reforço para eliminar as contas e ainda garantir a compra de presentes ou dos quitutes da ceia natalina. Mas sempre é bom fazer pesquisa de preços e barganhar junto aos lojistas.

— Pesquisar em pelo menos cinco lojas, não se esquecendo da internet, é o caminho para economizar na compra de presentes — recomenda Domingos.

Fonte: //zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/encare-a-crise/noticia/2016/11/como-pagar-as-contas-de-final-e-ainda-garantir-ferias-com-economia-8410974.html