educacao-financeira-real-dinheiro

Depósito começa a ser feito no dia 24 deste mês, conforme o valor do benefício e do final do cartão

O INSS começa a pagar a segunda parcela do 13º salário a partir do dia 24 deste mês. Os valores serão depositados na conta junto ao pagamento referente ao mês de novembro.

Os primeiros a terem o abono de Natal na conta são os que recebem benefício de até um salário-mínimo. A ordem do depósito varia conforme o número final do cartão de benefício do segurado. O calendário, nesses casos, vai do dia 24 até o dia 7 de dezembro.

Quem recebe acima do piso nacional terá o dinheiro a partir do dia 1 de dezembro. O pagamento também seguirá até o dia 7 do próximo mês.

A primeira parcela foi paga nos meses de agosto e setembro, sem o desconto do Imposto de Renda, e foi equivalente à metade do valor do benefício.

Já esta segunda parte poderá ser menor, pois há desconto do Leão, conforme a faixa salarial do segurado. Além disso, os aposentados e pensionistas com 65 anos de idade ou mais têm uma faixa extra de isenção e podem até escapar do facão do IR, dependendo do valor que recebem.

Tem direito ao 13 quem recebeu aposentadoria, pensão por morte, auxílios-doença, acidente, reclusão ou salário-maternidade. Já segurados que recebem benefícios assistenciais não têm direito ao abono.

A partir do dia 17, já deve estar disponível o extrato de pagamento com os valores exatos que serão depositados. A consulta pode ser feita pelo site www.previdencia.gov.br. É preciso informar o nome completo, o número do benefício, o CPF e a data de nascimento.

O dinheiro extra chegará em boa hora no bolso dos aposentados e segurados do INSS, já que no final do ano os gastos aumentam com o Natal e Ano-Novo. A recomendação, porém, é ter cautela na utilização do abono.

Segundo o mestre em educação financeira Reinaldo Domingos, é preciso avaliar em qual situação os segurados se encontram. O ideal, conta, seria utilizar o dinheiro para realizar um sonho, fazer uma viagem ou até ter uma ceia mais farta de fim de ano.

Porém, alguns aposentados podem ter de guardar dinheiro para as contas de início de 2017 ou até pagar dívidas.

Nesse último caso, alerta o especialista, se o segurado está inadimplente, ele deve lembrar que nem sempre o que se receber a mais será suficiente para pagar a dívida.

Por isso, a orientação é analisar as causas desses atrasos de contas e fazer um planejamento para começar melhor o ano. Reeducação financeira é a saída.

Fonte: //www.diariosp.com.br/noticia/detalhe/94345/veja-quanto-tera-na-segunda-parcela-do-13-do-inss