Se você tem um financiamento de imóvel e acha que não deve conseguir arcar com as próximas prestações, é preciso agir rápido, ou corre o risco de perder a casa própria e o dinheiro já investido.

Veja o que sugerem especialistas consultados pelo UOL.

1. Corra e renegocie com o banco
A primeira e principal recomendação dos especialistas é correr para o banco e tentar renegociar as parcelas.

2. Não faça outro empréstimo
Pegar outro empréstimo para pagar as parcelas atrasadas do financiamento imobiliário não é uma boa ideia, diz o especialista em finanças Reinaldo Domingos.

“Como a pessoa vai pagar esse empréstimo se ela não consegue pagar as prestações do imóvel?”

3. Corte despesas
O melhor, segundo Domingos, é fazer uma “faxina financeira” para conseguir quitar as dívidas. “A pessoa vai ter que reduzir drasticamente o padrão de vida”.

4. Venda o imóvel
Se não conseguir organizar suas contas e levantar um dinheiro para pagar as prestações, o próximo passo é se desfazer do imóvel. “A orientação é vender o imóvel no mercado normal e quitar a dívida”, diz o advogado Gilberto Bento Jr., especialista em direito imobiliário.

5. Já atrasou? Não fique parado
Atrasou as parcelas? Corra para não perder o imóvel. “As coisas são feitas de modo extrajudicial e são muito rápidas”, afirma o advogado Marcelo Tapai.

Segundo o advogado, caso consiga o valor total da dívida antes do leilão do imóvel, é possível ingressar com uma ação judicial para obrigar o banco a aceitar o pagamento e manter o contrato de financiamento ativo. “A grande dica é não ficar parado”, diz.

6. Só compre com planejamento
Para quem ainda não assinou um contrato de financiamento, o especialista em finanças Reinaldo Domingos aconselha fazer uma reserva financeira antes de comprar um imóvel. “Se a pessoa não tem nenhum dinheiro, ela tem que guardar pelo menos o dobro da entrada”, diz.

Verificar se as parcelas cabem no bolso também é importante. “A prestação tem que ser de no máximo 20% do valor que eu ganho”, diz Domingos.

Para quem tem dinheiro guardado, o conselho nem sempre é pagar o imóvel à vista. Mesmo sendo a melhor opção para fugir dos juros, não é bom ficar sem nenhuma reserva, segundo Domingos.

“A pessoa tem que ter de duas a três vezes o valor do imóvel se quiser pagar à vista”, afirma. De acordo com o especialista, a reserva é necessária para momentos de crise, como a perda de um emprego, e também para gastos complementares do imóvel –por exemplo, a compra dos móveis.

Fonte: //economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2017/02/13/comprou-imovel-mas-atrasou-as-prestacoes-estas-6-dicas-vao-te-ajudar.htm