A partir de março de 2020 a cotação do dólar utilizada na conversão dos gastos na fatura do cartão de crédito será correspondente ao dia da compra. Antes o valor cobrado era de acordo com o câmbio da data de fechamento da fatura, o que poderia significar um valor diferente a ser pago pelo cliente.

A nova medida foi divulgada e já estabelecida pelo Banco Central. Agora as operadoras de cartão de crédito, na hora de realizar a cobrança sobre os gastos no exterior, devem considerar a taxa de câmbio do dia em que for feita a transação.

A mudança pretende dar mais segurança aos consumidores que usam o cartão no exterior ou que fazem compras em sites estrangeiros. “Antes, quando somente podíamos ver o gasto na fatura, havia uma grande incerteza, pois o dólar poderia ter subido ou descido. O fechamento para a data da compra é mais assertivo para quem se planeja”, afirma o educador financeiro, Reinaldo Domingos.

De acordo com o especialista, a mudança pode ser vista por alguns como uma desvantagem, mas ainda assim essa nova regra é positiva para o consumidor em geral. “Para aqueles que não gostam de correr riscos, a vantagem é que já vai saber o valor que foi gasto em reais, a conversão conhecida ajuda a planejar os seus gastos e seus limites, sem surpresas. A desvantagem é que o dólar pode cair, o que talvez signifique uma perda, mas na educação financeira precisamos ter a certeza dessas informações”, conclui.