Educação Financeira
Tendência

Profissional liberal ou autônomo? Entenda as diferenças

O artigo de hoje foi elaborado para explicar, por A + B, quais as características que diferenciam e classificam como profissional liberal ou autônomo, e claro, como a Educação Financeira se torna importante no planejamento dessas categorias.

Por | Paulo Paquera

Hoje, dia 27 de maio é comemorado o Dia do Profissional Liberal e, certamente, você já ouviu falar sobre essa categoria de trabalho.

Mas, já parou para pensar quais os fatores determinantes para classificar um trabalhador como profissional liberal ou autônomo?

Claro que você terá essa resposta até o final deste texto, mas é curioso como, em alguns casos, o próprio trabalhador não sabe como se autodenomina, inclusive, esse não é um assunto abordado nas faculdades ou cursos, mas deveria.

Aliás, será que é necessário ter algum curso superior, certificação, ou até mesmo licença para ser um profissional liberal ou autônomo?

Já foram levantados muitos questionamentos, então, agora chegou o momento dos esclarecimentos.

Profissional liberal ou autônomo, quais as maiores diferenças?

Antes de seguir direto para os pontos que diferenciam esses trabalhadores, é importante falar um pouco sobre as semelhanças que possuem.

Em ambos os casos – não é regra mais é o mais comum – são todos contratados pelo sistema de prestação de serviço, comumente conhecido como Pessoa Jurídica (PJ), estando completamente fora das regras do regime de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Levando em consideração o seu contrato de trabalho, é importante deixar claro que toda a responsabilidade por recolher os impostos e pagar a previdência, por exemplo, é do profissional liberal ou autônomo.

Ok, você está aqui para saber as diferenças e como se classificar como profissional liberal ou autônomo. Veja só:

Profissional liberal:

Todos os profissionais liberais possuem formação acadêmica e técnica em determinada área de atuação, estabelecendo assim uma profissão formal.

Isso quer dizer que, para ser considerado um profissional liberal, o trabalhador precisa, obrigatoriamente, ser formado e, além disso, ser regulamentado por um conselho de classe, como a OAB, CRM ou CREA, sendo para advogados, médicos e engenheiros, respectivamente.

Por definição, profissões regulamentadas podem ser consideradas como liberais, uma vez que não precisam ser funcionários de uma empresa para que suas atividades sejam exercidas. Basta que estejam sob as regras de um órgão responsável ou sindicato.

Além dos já mencionados, advogados, médicos e engenheiro, veja alguns exemplos de profissões que também são classificadas como liberais:

  • Dentistas;
  • Corretores de Imóveis;
  • Arquitetos;
  • Jornalistas;
  • Administrador;
  • Contabilista;
  • Corretor de Seguros.

Essa é uma lista realmente gigantesca, mas com esses exemplos já é possível entender claramente como é determinado e classificado um profissional liberal.

Como em todos os aspectos da vida, ser um profissional liberal tem suas vantagens e desvantagens:

Vantagens

1-  Atuar na profissão em que se formou de forma regulamentada;

2-  Remunerações atualizadas com base nas negociações do sindicato;

3-  Expectativa de ganhos elevados;

4-  Direitos trabalhistas.

Desvantagens

1-  Sem flexibilidade nos horários de trabalho;

2-  Necessidade de aprovação para ser habilitado para exercer a função;

3-  Responsabilidade fiscal.

Quem são os profissionais autônomos?

O profissional autônomo, ao contrário do liberal, não necessita de formação acadêmica, seja técnica, seja superior ou regulamentação para exercer determinada função.

Os profissionais autônomos trabalham exclusivamente sob contratos PJ, sendo responsáveis por toda organização de agenda, fluxo de caixa e recolhimento de impostos pertinentes ao seu registro CNPJ.

Abaixo, você pode conferir alguns exemplos de profissionais classificados como autônomos:

  • Pintores;
  • Eletricistas;
  • Vendedores;
  • Designers;
  • Motoristas de aplicativos.

E assim como os profissionais liberais, ser autônomo também possui suas vantagens e desvantagens.

Vantagens

1-  Flexibilidade de horários;

2-  Autonomia profissional;

3-  Liberdade para estabelecer preços;

4-  Lucros diretos.

Desvantagens

1-  Oscilação financeira;

2-  Múltiplas responsabilidades;

3-  Não possui direitos trabalhistas;

4-  Não é representado por nenhum sindicato;

Ser um profissional liberal ou autônomo tem vantagens e desvantagens, como pode ver no decorrer deste texto, porém, o mais importante de tudo dentro dessas duas situações é ter o conhecimento necessário para buscar a prosperidade financeira, sempre.

É necessário se planejar para estar sempre um passo à frente de eventuais imprevistos ou oscilações naturais, por perder um cliente ou o movimento se mostrar mais fraco em um determinado mês.

O importante é estar preparado! Você, profissional liberal ou autônomo, como está lidando com sua vida financeira?

+ Clique aqui para assistir ao vídeo e entenda que você não vai trabalhar até os 100 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo