Notícias para você

Qual o melhor fundo de previdência?

No Brasil, há dois tipos de fundos de previdência, o PGBL e o VGBL

No Brasil, há dois tipos de fundos de previdência, o PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

O PGBL é mais indicado para quem declara Imposto de Renda no formulário completo, porque é possível deduzir 12% do que foi aplicado durante o ano da renda bruta tributável anual. Assim o contribuinte terá menos imposto a pagar no ajuste anual.

Mas, o imposto será cobrado na retirada sobre o total acumulado.

Já o VGBL é mais indicado para quem não paga imposto de renda, tem restituição ou pouco imposto a pagar e não vai se beneficiar da dedução dos 12%. As vantagens do VGBL são a rentabilidade e a incidência de imposto na retirada, cobrado só sobre os rendimentos, e não sobre o total acumulado.
Tabela VGBL e PGBL
O investidor também precisa escolher entre duas tabelas de tributação, tanto para o PGBL quanto para o VGBL. É com essa tabela que será calculado o imposto de renda na retirada. A tabela regressiva é ideal para o investimento de longo prazo. Se o dinheiro ficar aplicado por dez anos, a alíquota do IR cai para 10%. Mas se houver resgate em até dois anos da data da aplicação, a alíquota será de 35%.

Já a tributação progressiva segue a tabela do imposto de renda, com alíquotas que vão de 0% a 27,5%, dependendo do valor resgatado ou da renda.

Tabela Regressiva

Tabela Previdência
As taxas cobradas pelas instituições financeiras também podem fazer a diferença no patrimônio do investidor. Por isso o consultor financeiro Reinaldo Domingos aconselha a pesquisa dos fundos.

– É preciso analisar o custo dessa previdência. Na minha opinião, a taxa de administração não pode passar de 3% ao ano, e a taxa de carregamento não deve ultrapassar os 2%. O ideal é que seja de até 1%.

A taxa de administração é anual e só incide sobre os rendimentos dos fundos. Já as taxas de carregamento podem pesar no bolso porque incidem sobre o total aplicado e são cobradas a cada aporte. Se o investidor aplicar R$ 1.000 no fundo de previdência, R$ 20 ficam com o banco ou seguradora se a taxa for de 2%.

Fonte: http://noticias.r7.com/economia/noticias/qual-o-melhor-fundo-de-previdencia-20091206.html

 

Visite a Loja Virtual do Instituto DiSOP de Educação Financeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo