A relação entre a saúde financeira da empresa e dos colaboradores

Por

Em uma empresa todos os colaboradores trabalham, direta ou indiretamente, para manter a saúde financeira do negócio. Mas até que ponto esses profissionais conseguem manter em ordem a sua própria saúde financeira? E quais os reflexos que o endividamento dos colaboradores ocasiona em suas vidas pessoal e profissional?

Oneomania – Devedoras compulsivas

Por

Outro dia falamos aqui sobre o ato compulsivo de comprar. Este mal que afeta uma parcela da população pode chegar ao estágio de doença, conhecida como oneomania. A psicóloga Tatiana Filomensky, que atua no Ambulatório de Transtornos do Impulso do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, trabalha com o tema há cinco anos.

Combatendo o analfabetismo financeiro

Por

Hoje a taxa de endividamento no país atinge índices absurdos, e os dados que nos passam se referem apenas às dividas que são possíveis mensurar (crediários, bancos, cartão de crédito, financeiras, governos…). Mas, esse número aumenta muito se pensarmos que existem ainda as pessoas que devem para amigos, colegas e parentes, sem contar os agiotas.

Brasil tem primeira pós-graduação em educação financeira

Por

O mercado para profissionais especializados em educação financeira já está consolidado no país. O número de empresas, escolas e instituições que buscam esse tipo de diferencial é crescente, enfrentando em contraponto a escassez de pessoas capacitadas.

Cegonha pesa nas contas

Por

Prepare o bolso que o bebê está a caminho. A notícia da gravidez mexe com a rotina, mas também com o orçamento da casa. Os gastos para montar o enxoval e preparar o quarto do recém-nascido aumentam mês a mês ao longo da gestação. À medida que a barriga da mulher cresce, mãe e pai fazem contas e, em função do filho, não pensam duas vezes em cortar despesas pessoais, se preciso. Para o herdeiro, vale tudo do bom e do melhor.

Viva bem sem renda fixa

Por

Vida de trabalhadora autônoma tem lá suas vantagens: liberdade de horário, férias quando bem entender, nada de chefe por perto…

Educação financeira para crianças

Por

Educar adultos financeiramente já é bem difícil. Imagine crianças! Você já ficou sem graça quando seu filho ou filha pediu um brinquedo muito caro de presente, precisou dizer que não poderia comprar e ele ou ela “deu piti”, esperneou ou parou de conversar com você por algum tempo? Com certeza, foi uma sensação ruim.