Mulher x Consumo x Vaidade

PorShirley Freitas

A mulher brasileira está caindo na armadilha das facilidades de pagamento e do parcelamento na hora das compras. A vaidade feminina, alimentada pelas tentações do consumo e a falta de planejamento dos gastos são o combustível desse grande endividamento. Mas um dos maiores problemas é a falta de educação financeira, não sabendo usar os cartões de crédito, que têm limites cada vez mais altos.

Faça as pazes com o cartão de crédito

PorVanessa Almeida Carvalho

Abrindo os principais jornais deste começo de ano, fiquei preocupada com as notícias mais recentes do Banco Central. Elas mostram que o endividamento do brasileiro no rotativo do cartão de crédito, por exemplo, aumentou 21,2% em 2015 contra um aumento – que já era grande – de 11,4% em 2014. Ou seja, o que já vinha mal, está piorando.

Compra de imóvel na planta: planejamento é a palavra-chave

PorCintia Senna

Uma notícia recente do mercado imobiliário foi de que, em 2015, de janeiro a setembro, segundo levantamento realizado por uma empresa de classificação de risco a Fitch, houve 41% de devolução dos imóveis adquiridos na planta e que não foram objetos de liquidação financeira ou financiamento imobiliário.

Transporte público: dá para economizar?

PorCintia Senna

As tarifas do transporte público em São Paulo sofreram reajuste. Desde 9 de janeiro deste ano, estão custando R$ 3,80 – frente a R$ 3,50 de antes. Esse aumento de R$ 0,30 centavos fará diferença no bolso das pessoas que dependem deste meio para trabalhar e até para lazer.

Como está o seu poder de compra?

PorElizabeth Fernandes Bento

A inflação está instalada. Há muitos anos não temos sentido os índices tão altos. E isto tem feito estragos no bolso do brasileiro e na economia em geral. Precisamos entender que o modelo de crescimento que vivemos no passado foi fruto principalmente de crédito fácil.

Hora da xepa – Como economizar na hora da feira

PorReinaldo Domingos

Um dos itens do orçamento doméstico que vem aumentando é a feira semanal, na qual, porém, ainda continua sendo mais barato comprar do que no supermercado, além de encontrar alimentos mais frescos e saudáveis, proporcionando melhor saúde física.