ArtigosCorporativoEconomiaFinançasPara voce

Tesouro Direto – tem risco, mas é interessante

Já pensou em investir em tesouro direto? Esse é um tipo de investimento muito relevante, mas que com os juros mais baixos foi deixado um pouco de lado pelos investidores. Agora com os juros SELIC voltando a subir e isso deve impactar positivamente nesta linha. 

Ou seja, essa continua sendo uma boa forma de investir, desde que seja feita com estratégia e inteligência. Quer saber mais sobre esse tema? Pensando nisso detalhei um pouco melhor esse tema.

O que é Tesouro Direto

Primeiro ponto é entender que Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional para dar acesso direto as pessoas físicas investirem nos títulos públicos. Antes de 2002, para poder investir, as pessoas físicas só poderiam por meio de fundos de investimentos, o que geralmente dependia de valores mais representativos, bem como com taxas de administração consideráveis. 

Com esse programa, as pessoas físicas podem investir a partir de 30 reais em três modalidades de títulos:

  • Tesouro Selic
  • Tesouro Prefixado
  • Tesouro IPCA

Resumidamente o investidor empresta seu dinheiro para o governo e o governo devolve com uma taxa de juros definida quando adquiriu o título. 

É seguro?

Assim, se pode pensar, será que é seguro emprestar para o governo? O dinheiro dos títulos públicos é utilizado para a melhoria e desenvolvimento da infraestrutura do nosso país. A garantia desse empréstimo é o Tesouro Nacional e todos os fundos e bancos tem parte dos seus investimentos nesse produto.

Assim, é considerado o investimento de menor risco do país, lembre-se, todo investimento tem risco. E, por isso, é sempre importante não concentrar o seu dinheiro.

Como contratar

Para acessar esse produto, basta ter uma conta corrente ou poupança, um CPF, e pronto. Tem alguns custos que mesmo comparando com a poupança, compensa bastante, já que o retorno desses investimentos é diário

Ou seja, todo dia você já tem algum dinheiro trabalhando para você. Os custos do Tesouro são: taxa da B3 (0,25% ao ano sobre o valor investido) – para o Tesouro Selic, quem investe até 10 mil é isento dessa taxa

Além disso, se deixar menos de 30 dias tem IOF e o Imposto de Renda de 22,5% a 15% conforme o tempo que deixar o dinheiro lá aplicado, mas isso sobre o que render. Ponto importante, quanto maior o prazo, menor será o imposto. 

Enfim, essa é uma ótima opção para os investidores de características moderadas, que não gostam de arriscar muito. Outro ponto importante é optar bem por qual linha de Tesouro pretende investir, para que alcance os objetivos desejados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo